NO PRINCÍPIO CRIOU DEUS OS CÉUS E A TERRA E TUDO O QUE NELE HÁ.

Wednesday, December 31, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 209 "O QUE IMPORTA É SER TEMENTE A DEUS, O RESTO VEM DEPOIS"

209

Neemias queria mostrar para seus irmãos que ele pensava diferente, e agia diferente daqueles governadores corruptos, e sempre lembrando que era temente a Deus, e pedia a seus irmãos que assim o fosse também.
Lembrando que na reconstrução do muro, naturalmente que precisava desapropriar ou comprar algumas terras, mas nem isso foi preciso, porque para o bem da comunidade, tudo era ofertado, sem nenhuma pressão,a mão de obra foi oferecida com toda boa vontade, e todos se ajuntaram ali na obra, afim de ver tudo pronto o mais rápido possível.
Também cento e cinqüenta homens dos judeus e dos magistrados, se ajuntaram para ajudar, e na hora das refeições todos se serviam de igual modo, sem nenhum constrangimento ou preconceito, mesmo não fazendo parte de seu povo.
O que se preparava para cada dia eram um boi inteiro e seis ovelhas escolhidas; e até aves eram preparadas.
E de dez em dez dias uma comemoração regada a muito vinho, mesmo com estas despesas todas jamais foi exigido qualquer importância do governador, em vista da grande servidão que antes era imposta a seus irmãos, e não aceitava a sua ajuda, simplesmente para não ficar devendo favores a eles.
E em suas orações pedia a Deus a se lembrar dele para o bem, e de tudo quanto havia feito pelo povo, na preocupação e na esperança, de que eles voltassem a sua presença, e andassem em seus caminhos.

O muro já estava praticamente pronto, porém os portões ainda não haviam sido colocados, e Neemias estava preocupado com seus inimigos, que lutavam a todo custo para impedir que a obra fosse terminada.

                        ----- EJO ---- Continua




O PREÇO DA GANÂNCIA-CAPÍTULO-18

Capítulo -- 18

Zequinha - Claro que não, mãe, mas agora eles estão me olhando atravessado, e com má vontade nas minhas medidas, tudo que proponho fazer pra melhorar a vida do povo, eles me boicotam.

D.Gertrude - Ocês da capitar tem tanta palavra difici da gente intendê, midida que cunheço, é a lata de qriosene, que seive pra mode midí arroiz, fejão; farinha, essas coisas assim... Sabe!

Zequinha - (sorrindo) A medida é uma ação para por em votação o projeto que colocamos em discusão, para saber se aceita ou não executar tal projeto.

D.Gertrude - Xi!... Meu fio num pricisa de dizê mais nada, pois tudo qui ocê dissé, só vai confundir mais minha cabeça.

Zequinha - Mais, mãe cadê o pai? Como ele está? Já está todo recuperado?

Rosinha -(responde por ela) O pai está bem, com aquela mania de sempre, quando começa em um trabalho, só para quando termina.

Zequinha - Me fale, e a Mariazinha, mas o Zé Jacinto, estão se dando bem no Rio de Janeiro?

Rosinha - Eu nem te conto, estão vivendo vida de rei e rainha, também com tanto dinheiro assim, mais você também não mora no Rio de Janeiro, porque está perguntado por ela se pode estar com ela todos os dias se quiser.

Zequinha - As coisas não são tão fáceis assim, moramos em lugares opostos um do outro.
É bem mais fácil vir aqui do que ir lá, na mansão dela, pois só o tanto que agente fica parado no transito é uma coisa horrorosa, agente até se fala, mas, por telefone, e isto não é a mesma coisa.

Rosinha - É Você tem razão, ela te falou que está esperando criança.



Zequinha - Não falei!... Que por telefone, nem tudo agente fica sabendo? Muita coisa que agente quer falar, acaba esquecendo, quando voltar para o rio, vou fazer questão de fazer uma visitinha a eles, e vou aproveitar para levar também uma lembrancinha pra criança, afinal tem muito tempo que não nos vemos, vou fazer uma surpresa a eles.

                                                            ---- EJO -------- Continua





Tuesday, December 30, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 208 - QUANDO LEVAMOS NOSSAS RESPONSABILIDADES A SÉRIO, TUDO FLUI A NOSSO FAVOR E COM GRANDES RECOMPENSAS"

208

E louvaram ao Senhor, e todos fizeram conforme as palavras de Neemias, que foi nomeado governador, na terra de Judá.
Desde o ano vinte, até ao ano trinta e dois do reinado de Artarxexes, o povo já não precisava mais de pedir dinheiro emprestado e tudo o que comiam era do seu próprio esforço, do suor de seus trabalhos, e já não comiam mais a custa de nenhum governo.
Agora tudo era diferente, o governador atual era Neemias, e não tratava o povo como os governadores anteriores que sempre procurava usurpar a boa fé do povo, deixando os sem saída, numa verdadeira opressão, tudo que podiam, eles tiravam do povo, como nos nossos dias.
Os grandes e poderosos sempre arranjam uma maneira de arrecadar mais, sacrificando a classe menos favorecida, mas no caso de Neemias não foi assim porque era temente a Deus.
O povo de tanto sofrer na escravidão, já não faziam mais conta nem de sua própria existência, e da forma que Neemias os tratavam, pra eles era tudo falso, porque já não acreditava em mais ninguém.
Só que Neemias não levou isso em conta, reconhecendo o sofrimento que eles haviam enfrentado, e procura todos os meios satisfazer seus irmãos, fazia tudo para adquirir a confiança de todos eles, e em seu discurso relatava tudo quanto tinha feito e tudo quanto gastou, sem precisar da ajuda do governador.
Chama a atenção do povo em relação ao tratamento dos governadores que antes dele governava toda nação, oprimindo o povo em tudo, tomaram seus alimentos suas vinhas, e além disso tinham que pagar quarenta ciclo de prata numa imposição do rei como pagamento de imposto,quando um governo trabalha com seriedade, tudo contribui para o bem de todos, é o que esperamos destes próximos governantes.

                      ----- EJO ----- Continua




O PREÇO DA GANÂNCIA - CAPÍTULO-17

Capítulo 17

Nestas alturas dos acontecimentos, na fazenda do senhor Zeca, era só alegria e felicidades.
Zequinha acabara de chegar da capital, com sua família, que estavam ansiosos, para conhecer seus avós e suas tias.
Abraçam-se fraternalmente um a um.

D.Gertrude - Ocêis pode chegar nóis tava aqui numa paúra só esperando pro ocêis, cuma é que foi de viage?

Zequinha - Mãe, nós estamos precisando descansar um pouco, estas criança nos deu um trabalhão danado pra chegar até aqui, o Joãozinho então, veio vomitando de lá aqui, a senhora arranja um chá daqueles que a senhora fazia pra nós, pra dar a ele, garanto que vai ser tiro e queda.

D.Gertrude - É!... O chá de macaér é muito bão meso, corta quarqué disintiria. (sae pra cozinha)
Passado alguns minutos... Pronto, já, já ocê vai ta bão, mais me conta meu fio como foi, a viaje?

Zequinha - Bom, mãe, a senhora sabe né, eu nunca gostei de viajar, ainda mais agora com a responsabilidade que tenho, não posso ficar pra lá e pra cá... Há!... Seu filho está ficando importante, não é que me tentaram até que entrei pra política.
Não sei onde isto vai parar, não, pois eu detesto mal caratismo, e na política agente está sempre se deparando com eles.
A senhora não imagina que certo deputado me convidou pra fazer parte de um esquema com ele, que poderia render uma boa bolada.

D.Gertrude – Bolada, qui é isso?

Zequinha – Bolada mamãe, é muito dinheiro, mas é negócio sujo.


D.Gertrude - Mais ocê num aceitou não né meso?

                                                             ------- EJO ------- Continua




Monday, December 29, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 207 "NÃO ESPERE SER PUNIDO POR SUAS NEGLIGÊNCIAS, FAÇA SEMPRE A VONTADE DE DEUS"

207

Neemias depois de ouvir todas estas lamúrias e reclamações, teve seu dia, como um dos piores de sua vida e se comove.
E, procura os magistrados, e os maiorais, que também eram seus irmãos que usurpava o povo, e chama à atenção deles veementemente.
E convoca o povo para um ajuntamento, dizendo lhes:
Nós resgatamos os judeus, nossos irmãos que foram vendidos à as gentes, segundo nossas posses; e vós outra vez venderíeis a vossos irmãos, ou vender-se iam a nós? Então se calaram, e não acharam o que responder.
Neemias continua, não é bom o que fazeis; porventura não devíeis andar no temor de nosso Deus, por causa do opróbrio dos gentios, nossos inimigos?
Também eu, meus irmãos e meus moços, juro lhes, temos dado dinheiro e trigo.
Deixemos este ganho, restituí lhes hoje, vos peço, as suas terras e suas vinhas, os seus olivais, e suas casas; como também parte do dinheiro, do trigo, do mosto, e do azeite, que vós exigistes deles.
As palavras de Neemias, falou profundamente em suas consciências e se propõe em devolver tudo quanto haviam tomado deles indevidamente.
Então Neemias, chamou os sacerdotes e todos os maiorais que haviam usurpado dos pobres, e os fez jurar perante Deus, que fariam tal como haviam prometido.
E disse mais, todo aquele que não cumprir este juramento, será sacudido ou banido, e sacudido também será diante de Deus, todo homem da sua casa que não cumprir estas palavras, e assim seja sacudido e vazio.

E todos que estavam na congregação concordam e dizem amém!...

                       ----- EJO ------ Continua








O PREÇO DA GANÂNCIA - CAPÍTULO-16

Capítulo -- 16

Caliu -- Bom!... Agora todo o ouro é só meu, imaginem; o tanto de ouro que enterramos lá perto do avião mais este aqui.
Eu posso fazer o que quiser, pois com tanto dinheiro assim agente fica respeitado.
Agora é que não vou mais precisar trabalhar mesmo, é só curtir a vida, e dar boa vida pra minha família.
Mas eu já estou muito cansado e estou perdendo muito sangue não tenho condição de chegar em casa com este ouro.
Vou enterrá-lo depois eu busco com uma carroça.
--------
*Caliu saiu cambaleando pelo caminho o sol quente, e a perda de sangue, fizeram com que desmaiasse.
Não tendo ninguém para lhe prestar socorro, morreu ali, e ali ficou até ser encontrado pela sua esposa e seus filhos, que de tanto esperar saiu a sua procura, mas não ficou sabendo nada a respeito do ouro, pois estava tudo enterrado.
A esposa de Caliu foi conversar com suas colegas a respeito do que havia acontecido ao seu marido, e ficou sabendo que seus esposos também estavam desaparecidos e assim pediu ajuda aos seus vizinhos, agregados da fazenda, para dar um busca na mata que acabou encontrando os outros dois mortos.
-------
A Ganância desvirtua e corrompe o homem.
Quando ele deseja determinada coisa, em atitude gananciosa, trabalha firme em cima disto passando em cima de tudo e de todos, quer nem saber a quem está atingindo e prejudicando.
Mas o seu fim sempre será muito doloroso, por algumas horas aqueles homens eram os mais ricos da região, quem sabe até do país.

Mas tudo passou em suas vistas sem que pudessem aproveitar nada, e sendo que o ouro ficou lá enterrado, também ninguém teve acesso a ele.

                                                         -------- EJO --------- Continua



Friday, December 26, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 206 "QUEM SE ATREVE CONTRA O SENHOR TODO PODEROSO NAS BATALHAS.

206

Nestas alturas dos acontecimentos a noticia, que eles estavam preparados e aguardando a chegada deles, e também sabiam que iam bater de frente com o grande guerreiro, o Senhor poderoso nas guerras, bateram-se em retiradas, pelo menos por enquanto, e todos voltaram a trabalhar na reedificação do muro.
Porém apesar de tudo, não baixaram a guarda e todos muito bem armados distribuídos em pontos estratégicos e sempre com muita atenção no que pudesse acontecer, porque o inimigo é cheio de manhas e naturalmente, que poderiam voltar a incomodar.
E em cada ponto estratégico havia um homem exclusivamente para tocar a corneta em caso de qualquer suspeita, e onde a corneta seria tocada, ali se ajuntavam para unir forças, e sempre lembrando ao povo que Deus estava na frente da batalha, se caso fossem atacados.
Infelizmente, nem tudo o que você que faz pensando estar ajudando seu irmão, é reconhecido; o esforço de Neemias para solucionar a situação caótica de seus irmãos, judeus, por muito que se esforçava ainda era pouco mediante a tanto  sofrimento e miséria que vinham sofrendo, e entre si viviam discutindo e reclamando, preocupados com o que haveriam de comer.
Cada um tinha uma justificativa por sua reclamação.
Uns reclamavam, a falta de alimento outros reclamavam, por que haviam empenhado suas propriedades, e não estavam achando jeito para sanar suas dividas e se livrar do empenho.
Outros haviam feito empréstimo com os tributos do rei, e não sabiam como efetuar o resgate de suas dividas.
Reconhecendo eles que eram todos irmãos, e que estavam sendo forçados a entregarem seus filhos para serem servos de seus inquiridores, e muitas de suas filhas, eles já não poderiam ter mais nenhuma esperança que pudesse voltar para o seio de suas famílias.

Outros casos mais graves, que além de perderem seus filhos precisavam entregar suas moradias e suas terras, com a safra de vinho e tudo mais, para se ver livre de seu pesado jugo.

                         ------ EJO ----- Continua




O PREÇO DA GANÂNCIA-CAPÍTULO-15

Capítulo -- 15


Feitosa - Pronto agora vamos embora, eu achei o caminho de volta, mas ainda está longe de casa, e temos de levar em conta que é muito peso pra carregar, e estamos fracos e com fome.

Caliu - Deixe de lamúria, o tempo que está reclamando podíamos estar andando, desse jeito não vamos chegar a lugar nenhum.

Feitosa - Você é engraçado, quer bancar o durão e mandar em todo mundo, você era Coronel, lá pras suas negas, aqui você é que nem nós mesmos, então vamos manter a calma.

Caliu - Claro, amigo, então vai mudar de assunto, você, já parou pra pensar o que vai fazer com sua parte do ouro?
Eu estou pensando aqui; esse ouro vale muito dinheiro, estou pensando em comprar uma boa casa na capital, quero um bom carro, o melhor que eu encontrar, e acho que vou comprar também uma lancha daquelas invocadas cheia de recursos, daquelas confortadas, minha mulher e meus filhos vão gostar da idéia.

Feitosa - Mas, não se esqueça que somos fugitivos da lei.

Caliu - Lei, isto só serve pra gente pobre, agora que temos muito dinheiro podemos comprar todo mundo.

Feitosa - É eu acho que você tem razão, também vou fazer assim, vamos ser os reis da côcada preta, vamos ser gente de bem e não precisamos roubar mais ninguém.

Caliu - Então vamos andar e deixar a conversa de lado

Andaram um bom pedaço de mata, mas já não estavam suportando o cansaço.
E aquelas pontas das barras de ouro em suas costas, que mais pareciam às costas de um açougueiro carregando mantas de carne.
Já estavam bem perto da saída da mata, quando Feitosa se ofende com as palavras de Caliu.
Deixou o saco de ouro no chão e partiu pra cima dele, travaram uma tremenda luta corporal, luta de morte, pois os seus nervos já estavam à flor da pele.
Feitosa pega a faca e parte pra cima de Caliu, a faca pegou o de jeito, mas quando andou um pouco pra traz tropeçou em um tronco e caiu com a cabeça exatamente em cima da ponta de uma das barras de ouro, tendo morte instantânea.

Que ironia!... Vitima do seu próprio fardo.

                                                                   ------- EJO --------- Continua




Thursday, December 25, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 205 "LEMBRAI-VOS SEMPRE DO SENHOR, ELE É O NOSSO REFUGIO E FORTALEZA, SOCORRO BEM PRESENTE EM NOSSAS ANGÚSTIAS"

205

E trabalharam com fé e coragem até ver realizado todo trabalho, e até mesmo as demais coisas que estavam depredadas foram concertadas, e procurou ver tudo, onde poderia haver algum problema para serem dissolvidos, trazendo conforto e condições de vida para os moradores da região.
Mas para chegar a este ponto, tiveram muitas dificuldades, em vista da perseguição dos inimigos de Israel, que declarou guerra contra eles.
Neemias mostrou-se um grande administrador segundo a grande, poderosa, e boa mão de Deus, reuniram todos os homens de Jerusalém, e se colocaram em guardas, fortemente armados, enquanto uns protegiam, outros trabalhavam, e não dispensavam suas armas em momento algum nem mesmo na hora de suas necessidades fisiológicas ou na hora de suas refeições.
Sendo o muro muito grande, pois rodeava a cidade, exigia um pouco mais de sua atenção, fazendo com que demorasse mais do que imaginava.

Tomando frente ao povo, chama-os a ouvir suas palavras, que atentamente ouviram cada palavra sua guardando em seu coração cada uma delas, revigorando assim as forças de quem porventura, se achava sem condições de batalha, dizendo: Não os temais, lembrai-vos do Senhor, grande e terrível, e pelejai pelos vossos irmãos, vossos filhos, e vossas mulheres e vossas casas.

                               ----- EJO ----- Continua





O PREÇO DA GANÂNCIA - CAPITULO - 14


Capítulo -- 14

Lá nas matas de Mato Grosso, estavam os trêis bandidos, discutindo a forma de transportar aquele tesouro.
Depois de muito pensar, um deles teve a feliz idéia de fazer picuás com as calças, assim poderiam trazer o máximo de suas capacidades.
O restante foi enterrado nas proximidades do avião, na intenção de buscá-lo mais tarde.

Caliu - (O Coronel de araque)... Bom... Nós nos entretemos com este ouro e nos esquecemos que estamos perdidos, e agora carregar este ouro pesado com estas pontas machucando as nossas costas e ter que andar sem saber pra onde, será que vamos conseguir chegar, não seria bom agente esconder este ouro pra depois vir buscar?

Feitosa - Se você quiser fazer isto, você faz com sua parte, porque a minha ninguém põe a mão.

Adalberto - O Coronel está é querendo nos levar na conversa pra ficar com tudo, mas o meu é meu e vou brigar por ele até na ultima hora.
--------
*Cada um sai numa trilha diferente, andam, andam e voltam pro mesmo lugar, já estavam caindo em desespero, e por qualquer palavra servia de ofensa um pro outro.*

Caliu - (Saiu de perto de Adalberto, faz um sinal para o Feitosa sem que Adalberto percebesse)... Estou pensando em dividir este ouro só com dois, acho que se Adalberto saísse de circulação teria muito mais ouro pra nós dois o que você acha?

Feitosa - Vamos ter que matá-lo?

Caliu - Que diferença faz, quantos ele matou e ninguém cobrou nada dele.

Feitosa - Assim a sangue frio, sei, não!...

Caliu - Que sangue frio, aqui não tem ninguém de sangue frio, e de mais a mais, ele está dando muito trabalho, pois toda hora pedindo pra esperá-lo, ele é muito mole!... Decida, pois ele está chegando pra perto.

Feitosa - Está bem, vamos deixá-lo descansar aqui e vamos levar o ouro dele. (Voltaram os dois em direção a Adalberto)


Caliu - Desculpe amigo, (Tira a faca da cintura e passa a na garganta de Adalberto, que deixa seu saco de ouro cair pelo chão)

                                                               ------- EJO ------ Continua






Wednesday, December 24, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 204 COM DEUS, TUDO É POSSÍVEL"

 204

Chegando ele as províncias da’lém do rio, procurou imediatamente entrar em contato com os governadores de cada região, e lhes entregou as cartas de recomendações do rei Artarxerxes.
Acontece que os governadores tinham o povo de Israel atravessado em suas gargantas, e fica ofendido com tal pedido do rei Artarxerxes, e jamais poderiam imaginar que alguém viesse a eles pedir algum favor exatamente, pra aquele povo.
Decepcionado com as atitudes dos governadores, segue para Jerusalém e lá esteve por três dias, pensando o que haveria de fazer.
Sem levantar grandes alardes, sem falar pra ninguém o que Deus havia proposto em seu coração, o que haveria de fazer em Jerusalém.
Saiu de madrugada a fazer uma vista nas áreas mais afetadas, e com grande tristeza em seu coração, viu os muros em ruínas e os restos dos portões que outrora eram muito bem feitos, uma magnifica obra de arte, e agora foram queimados.
Depois de analisar ponto por ponto, aí sim vai procurar os homens que com ele estava, e começa a obra com muito sacrifício, contando com ajuda de alguns que ali estavam.
Durante o trabalho árduo da reconstrução do muro, alguns dos servos do rei de da’lém do rio aparecem para criticar, e zombar deles, com zombarias de grandes ofensas, e ainda queriam intimidá-los a fazer paralisar o que estavam fazendo, dizendo: Quereis rebelar contra o rei que não quis te dar apoio?
Neemias era um servo dedicado ao Senhor, e procurava serví-lo com toda sua força e de todo seu coração, e não titubeou em dar a resposta certa na hora certa, dizendo: O Deus dos céus é o que nos fará prosperar; e nós seus servos, nos levantaremos e edificaremos, porém vocês não tem nada a ver com isso, não tem parte, não tem justiça, nem memória em Jerusalém.

Somente quem tem a sua consciência pura para com Deus teria coragem para desafiar aqueles homens desta maneira, e o que eles poderia fazer, se não deixá-los em paz.

                      ------ EJO -------- Continua




O PREÇO DA GANÂNCIA- CAPÍTULO- 13

Capítulo  -- 13

Naquele instante na fazenda do Senhor Zeca, as duas moças estavam discutindo pra ver quem ficaria com o Zé Jacinto, já que nem uma delas teria conseguido um candidato à altura, agora qualquer um servia, com medo de ficar solteirona, só que nenhuma delas sabia do grande achado do Zé Jacinto.

Rosinha - O Zé Jacinto,  gosta é de mim, você tem que se conformar com isto.

Mariazinha - O Zé Jacinto não quer ver você nem pintada a ouro, também da maneira que você o humilhou coitado, duvido que ele ainda vá querer alguma coisa com você.

Rosinha - Isto é o que você pensa, você é muito feia e tenho certeza que com um pouco de conversa, ele acaba me escolhendo.

Mariazinha - Se ele tivesse de escolher você, ele teria escolhido naquela época em que você deu de cima dele por causa do tal diamante.
E o que ele fez com você!... Deu-te o maior fora.
(Enquanto estavam discutindo, o Zé Jacinto chega trazendo um embornal cheio de pedras de diamantes.)

Aí que as duas moças reforçam as suas discussões, e tentam a qualquer custo fazer com que ele a escolhesse.


Zé Jacinto - Eu quando pidi a mão de Rosinha em casamento, eu gostava dela, e tamém, pro mode que ela era a mais véia, e num ficava bem pra pidi a mão da mais nova.
------
Rosinha se enche de vaidade, mediante o que ouvira de Zé Jacinto.

Zé Jacinto - (Continua) Mais, acuntece, que ocê Rosinha me martratô e me humiô de mais da conta, e isso eu num vô nunca me isquecê.
Se a Mariazinha, quisé, nóis vamo casá agora, se ela quizé.
Vou cumpra uma casa na capitá, e tamem vou aprendê a cunversá que nem gente, se ocê quisé, é só falá.


Mariazinha - É claro que eu quero, e desta vez a Rosinha não vai nos atrapalhar, não é mesmo Rosinha!...(Rosinha sai da sala derrubando os bancos que estavam na frente dela)

                                            ------- EJO ------- Continua



Tuesday, December 23, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 203 "DEUS NÃO ESCOLHE OS CAPACITADOS, MAS CAPACITA OS SEUS ESCOLHIDOS"

 203
-------
Louvai ao Senhor.
Louvarei ao Senhor de todo o meu coração, na assembléia dos justos e na congregação.
Grandes são as obras do Senhor, procuradas por todos os que nelas tomam prazer – Salmo 111 v 1,2
-------- 
Artarxerxes se comove e se coloca a sua disposição, e pergunta, o que gostaria que eu fizesse por você agora?Então Neemias pede licença ao rei e se afasta dele por um momento e ora ao Senhor, momentos depois volta a falar com o rei, dizendo: Se é do agrado do rei e se o teu servo é aceito em tua presença, peço-te que envie-me a Judá onde meus pais estão sepultados, para que eu a edifique.
Artarxerxes, assentado junto com sua rainha, ouve atentamente seu pedido, como o rei tinha por ele grande admiração, pelo seu caráter e sua dignidade, e sua presteza, simplesmente queria saber quanto tempo duraria a viagem e quando pretendia voltar.
------
De copeiro, a um grande rei

O rei Artarxerxes, calculando o tempo que possivelmente gastaria, concede a fazer a tal viagem. Aproveitando a boa vontade do rei, pede também provisões, e carta de referência para que pudesse passar pelas fronteiras até chegar onde pretendia, que era exatamente, em Jerusalém na cidade de Judá, onde moravam seus irmãos e onde estavam sepultados os seus pais.
Foi mais além com seus pedidos, solicitando que o rei lhe desse uma carta para o rei vizinho de Jerusalém a fim de adquirir o material necessário para reconstrução do muro e madeira para fazer um novo portão, e também material para construir uma casa onde pudesse morar durante a estadia dele em Jerusalém.

E de boa vontade Artarxerxes concedeu todos os seus pedidos, e ainda lhe favoreceu com alguns homens de confiança de seu exercito, segundo a boa mão de Deus que estava sobre ele.

                      ----- EJO ----- Continua




                                

O PREÇO DA GANÂNCIA- CAPÍTULO-12

Capítulo -- 12

E assim foi realizada a tal festa, onde cada um deles tinham conseguido, uma namorada e se casaram.
Agora tinham um lar próprio, cada um agora só pensava em construir família, mulher, filhos, e viver em paz, mesmo sabendo que tudo que tinham conseguido foi à custa de subterfúgios.
Poucos estavam se importando a quem dera prejuízos, pelo contrário, se vangloriavam por isto.
Passado o tempo, agora todos estavam casados e podendo ter o privilegio de ter uma mulher para cuidar deles e de suas casas.
Depois de alguns anos, já com suas famílias formadas, mulheres e filhos, com responsabilidades que nunca imaginavam ter.
Sempre aos fins de semana, saiam os três para caçar nas redondezas, onde só havia caça miúda.
E eles estavam atrás de aventura, queriam coisas maiores.
Lá, em um belo dia, resolveram sair um pouco mais pra longe em busca da tal caça maior.
A mata era densa e cheia de perigo, e todo cuidado era pouco, por muito cuidado que tivessem estavam sempre correndo risco de vida.
Saíram em perseguição a um grande porco do mato, correndo de um lado pra outro.
Eram trilhas e mais trilhas feitas pelos animais, quando deram por conta estavam perdidos; e agora, como voltar pra casa?
Quanto mais procuravam o caminho de volta mais se embrenharam mata adentro.
E na ânsia de achar caminho, acabaram se deparando com um grande tesouro.
Havia caído um avião que transportava uma grande quantidade de ouro em barra.
Nunca vi bandidos com tanta sorte.
Enquanto isto lá nas Minas Gerais, mais precisamente na casa do Zé Jacinto, era meio dia em ponto e o sol estava quente e brilhava muito.
Como era meio dia em ponto a água da cacimba ao receber o clarão do sol brilhava como o esplendor da manhã.
E isto chamou a atenção de Zé Jacinto, que resolveu averiguar o que estava vendo.
Desceu lá em baixo e foi surpreendido com muitas pedras de diamante.
O fundo da cisterna estava forrado, Zé Jacinto, quase dá um desmaio ali mesmo, tamanho foi a sua emoção e surpresa.

Pois desde quando fora assaltado por aqueles bandidos, só teve dificuldades em sua vida, agora se via diante da maior mina de diamante já visto por aquelas bandas.

                                   -                        ------- EJO -------- Continua




Monday, December 22, 2014

DEUS NO COMANDO DE TUDO N º 202 " A FIDELIDADE DE UM MORDOMO

202

A oração continua, e Neemias entende o que Deus quer: E vós vos convertereis a mim, e guardareis os meus mandamentos, e os fareis: então, ainda que os vossos rejeitados estejam no cabo do céu, de lá os ajuntarei e os trarei ao lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu nome.
Estes (rejeitados) ainda são teus servos e o teu povo que rasgaste com tua grande força, e com a tua forte mão.
Ah! Senhor, estejam pois, atentos os teus ouvidos à oração dos teus servos que desejam temer o teu nome: e faze prosperar hoje o teu servo, e dá lhe graças perante este homem, que até então era copeiro do rei.
Tudo isto que estava acontecendo em Jerusalém, o rei Artarxerxes rei da Pérsia ao tomar conhecimento das condições em que se encontrava Jerusalém, envia Neemias para restaurar os muros que estavam em ruínas.
 Nesta época Artarxexes já reinava à Pércia a vinte anos, e Neemias era seu atual copeiro, que sempre o servia com alegria, nunca se via nele nenhuma má vontade e estava sempre pronto pra tudo.
Porém neste dia quando foi servir o vinho ao rei, como de costume, estava abatido e com semblante triste, a ponto de incomodar o rei.
Preocupado com a saúde de seu mordomo, faz um interrogatório, pra saber o que estava acontecendo com ele, queria saber o motivo de sua tristeza, ou se estava doente.
E ele responde que era apenas tristeza de coração.

Temendo ele que o rei pudesse fazer alguma represália, pelo fato de não demonstrar simpatia na hora de atendê-lo, força um sorriso e tenta ser simpático, e diz: Viva o rei para sempre! Como não poderia estar triste vendo a sua cidade natal em verdadeira desolação, até os grandes portões da entrada de Jerusalém foram queimados.

                         ------ EJO ----- Continua



O PREÇO DA GANÂNCIA--CAPÍTULO-11


Capítulo  --  11

Na delegacia

Coronel - Como agente se engana com as pessoas, quem poderia imaginar um capitão da guarda nacional aqui por estas bandas.
Já que falhamos neste plano, estamos nas mãos dele, com fazenda ou sem fazenda, vamos dar o fora daqui agora.
Não podemos dar bobeira, pois se ele descobrir, o que realmente somos, vamos pegar um bom tempo na cadeia, acho que um bom lugar pra gente se esconder é lá pras bandas do Mato Grosso.
O dinheiro do diamante vai dar pra comprar um pedaço de terra, e o clima lá é muito agradável, isto sem contar que tem muita caça e boa pesca, poderemos passar lá um bom tempo.

Na Fazenda

D.Gertrude - Mais, ocê é danadinho em Zequinha, pro mode de quê ocê disse que só tinha dinheiro pra pagá passage e um lanche barato? O que é lanche?

Zequinha -(caçoando) Pru mode que eu num pudia falá pra ocêis si não ocêis ia dar com a língua nos dentes, e Lanche é tudo que se come fora de hora ou fora de casa, coisas que não tem nada a ver com almoçar ou jantar, deu pra entender?

*E assim todos se reuniram ao redor do Zequinha, cada um com uma pergunta mais estapafúrdia que a outra, e ali se fez uma grande festa.*
-------
Algum tempo depois, lá em Mato Grosso.

Feitosa - Até que as coisas não foram tão ruins assim pra nós, estamos até muito bem alojados, um casa razoável e grande que até dá pra gente casar e trazer nossas mulheres pra cá.

Caliu - (O coronel de araque) Bem pensado Feitosa, aqui nós até poderemos mudar de vida, pelo menos por um bom tempo, até agente ver o que fazer da vida; por enquanto vamos nos mostrar bonzinhos e amáveis com todos, vamos mostrar que somos gente de bem, aí quando ganharmos a confiança de todos!..

Adalberto - (adianta) Aí voltaremos pra nossa antiga profissão, e pelo visto aqui tem muito onde trabalhar (todos dá uma tremenda gargalhada)

Caliu - Enquanto existir otário no mundo, não vai faltar trabalho pra nós, só que precisamos ter cuidado, pra não cair noutra enrascada igual a das Minas Gerais.

Feitosa - É! Subestimamos a nossa vitima, e deu no que deu, precisamos analisar bem, todos os pontos, os favoráveis e os contrários.
Só depois de muita certeza é que iremos agir, mas, por enquanto, vamos ter que por a mão na massa de forma diferente.
Vamos ter que trabalhar sim, e mostrar pra esta gente que somos gentes trabalhadoras.


Adalberto - Sugiro, em convidar o pessoal da redondeza, pra uma festinha de recepção, aos poucos conquistaremos a confiança de todos, e quem sabe se nesta festa, conseguiremos arranjar algum rabo de saia. (todos dão boas risadas, satisfeitos).

                                                 ------ EJO ------- Continua